Voltar - Página Inicial Comentários Contactos Links Mapa do Site Definir como Homepage Adicionar aos Favoritos Canal de Conversação
Search

Notícias Equestres


Corrida de Touros Campo Pequeno dia 10 Agosto
11/08/2006
Na belíssima noite do dia 10 de Agosto, dia de São Lourenço, a Monumental do Campo Pequeno foi, uma vez mais, destino de muitos aficionados do mundo tauromáquico, que se deslocaram a esta catedral para assistirem a mais um bonito espectáculo.

O cartel apresentava-se jovem, com Ana Batista e Isabel Ramos no toureio a cavalo; Procuna e Velásquez no toureio a pé; e o Grupo dos Amadores da Moita pela forcadagem.

Os toiros lidados ostentavam o ferro da casa Francisco Luís Caldeira, de alma, apresentação e comportamentos muitíssimo variados. Também em praça esteve um novilho de Maria Guiomar Cortes Moura que, apesar de bem apresentado, faltou na entrega e colaboração.

A abertura de praça coube a Ana Batista. De regresso a esta praça, mostrou-se com vontade de triunfar, aproveitando bem o lote que lhe coube em sorte. Cravou boa ferragem em sortes completas de entradas de frente, cuidadosamente procurando um remate que confirmasse a beleza do momento, tendo sido o seu momento alto o ferro curto da sua primeira lide da noite. Deu voltas à praça, tendo, na ultima, feito acompanhar-se de seu cavalo de nome “Obelix”, o qual, pelo seu carácter, foi de extrema importância em alguns dos principais momentos da noite.

Isabel Ramos, na que foi a sua apresentação, lidou o novilho da noite. Mostrou o seu valor, a sua vontade e a sua dedicação face a um oponente algo complicado. Teve momentos de passagens por dentro e bonitas sortes frontais de correcta execução, tendo dado a volta.

Pela forcadagem estiveram os Amadores da Moita que, embora os oponentes em praça não oferecessem grandes dificuldades, não estiveram não seu melhor. Foram caras José Quintério, a dobrar Carlos Dias, depois de o toiro ter recolhido aos currais e tornado a sair, consumando a pega à quinta tentativa, Filipe Cruz, conseguindo consumar à terceira tenativa; e Célio Santos, ao segundo intento.

No toureio a pé, a noite não foi de glória, talvez por culpa dos toiros em praça. Procuna mostrou-se com emoção e empenho, começando de joelhos em terra com duas largas cambiadas. Apresentou um vasto leques de passes de capote e rematou com revoleras. Ele próprio bandarilhou os toiros de sua lote, arrancando fortes aplausos do publico presente. Com a muleta evidenciou algum descompasso e falta de ligação. No entanto, obteve uma ovação de todos os presentes e deu volta.

Velásquez também não esteve no seu melhor. Com uma presença menos apagada com o capote, deixou-se enganchar em alguns dos lances. Alguns dos seus melhores momentos foram conseguidos na muleta na sua primeira actuação. O seu ponto máximo foi o tercio de bandarilhas, no segundo da noite, por intermédio de Pedro Paulino e João Santos, merecedores de grande ovação. Recebeu palmas e volta.


(©) Copyright Cavalonet 2000 - 2013