Voltar - Página Inicial Comentários Contactos Links Mapa do Site Definir como Homepage Adicionar aos Favoritos Canal de Conversação
Search

Notícias Equestres


APASSIONATA Hommage Apaixonou Portugal
16/04/2007
Três exibições de cortar a respiração marcaram a estreia da APASSIONATA em Portugal.

A 13 e 14 de Abril, o maior espectáculo equestre do mundo reuniu numerosos aficionados de norte a sul do país no Campo Pequeno, que registou lotação esgotada!

Em palco estiveram as mais nobres raças de cavalos, que efectuaram números magníficos, acompanhados por cavaleiros de todo o mundo envergando trajes cintilantes, num palco grandioso repleto de efeitos de luz e por vezes com fogo, que deixaram o público nacional completamente rendido.

Tratou-se, sem dúvida, de um acontecimento inesquecível, merecendo destaque uma espantosa exibição de Filipa Valença com um lusitano da Companhia das Lezírias, que "dançou" ao som da voz da APASSIONATA, a diva islandesa da ópera Arndis Halla, num extra especial para o público nacional.

A apresentação esteve a cargo de Francisco Cancella de Abreu.

Em declarações a um dos organizadores (Revista Equitação), todos os artistas se mostraram encantados com Portugal e com a aceitação face a esta Hommage, tendo o produtor Peter Massine referido mesmo que para o ano o nosso país voltará a estar na rota da APASSIONATA, com um novo espectáculo intitulado Four Seasons, já em exibição na Alemanha.

RESUMO DO PROGRAMA

1. Hommage Na tournée "Hommage", o conhecido espectáculo equestre presta homenagem ao cavalo, uma das mais belas criaturas do mundo. Os cavalos, selvagens e fogosos, como se no seu ambiente natural se encontrassem, correm livres na arena. O público não pode deixar de sentir a força transmitida por estes nobres animais. A relação próxima entre homens e cavalos, uma relação que dura há milénios, adquire uma expressão poética e teatral. O cavaleiro aproxima-se lentamente do cavalo em liberdade. O encontro de ambos, o conhecimento mútuo, o acto de pôr a sela e a seguir, o montar do cavalo, demonstram o laço que se está a criar entre as duas criaturas.

2. Conquistadores Uma verdadeira explosão de cor em que cavaleiros experientes e os seus cavalos excepcionais se juntam numa celebração única. Música alegre, dançarinos graciosos numa mistura inebriante de trajes coloridos aparecem como se vindos do nada, descendo de tiras suspensas. Garanhões, puro-sangue galopam na arena, montados por Conquistadores. Os Conquistadores captam a atenção do público com o seu combate de lanças – um espectáculo feroz que é, no entanto, puramente estético. Estupefactos, os espectadores questionam-se como os cavaleiros conseguem manter-se em cima da sela durante as manobras que executam. Este número veloz termina numa luta dramática, em que um dos cavaleiros desce do cavalo de forma acrobática, deixando a audiência sem fôlego.

3. Garrocha Cavaleiros espanhóis tradicionais entram com as garrochas. O público, encantado, observa o espanhol a dominar o seu andaluz enquanto este dança à volta da garrocha de forma quase sensual. Música ibérica, trajes espanhóis e dançarinos ardentes acompanham este vislumbramento da Europa do Sul, que, com a sua coreografia única, transporta o público para o mundo da cultura e tradição ibérica.

4. Viva o México! O que é isto? Um touro na arena? Não tenham medo – o touro é dominado por um cowboy, de forma a ‘cativar’ o público – no verdadeiro sentido da palavra. O mundialmente conhecido cavaleiro de laço mexicano mostra todas as facetas desta habilidade, associada ao estilo do Oeste selvagem. Trata-se do ‘campeão das cordas’ nacional e, numa série de movimentos de cortar a respiração, mostra-nos como controlar o laço ao lado do cavalo, montado no cavalo e até, a saltar por cima do cavalo!

5. Portugal – um pas de deux tradicional Luís Valença, grande mestre de Portugal, e os seus nobres lusitanos ensaiaram um pas de deux exclusivo para a "Hommage". Ao som dos tambores e cantos líricos, cavalos e cavaleiros expressam uma emoção, força, elegância e graça sem rival.

6. Os Cowboys e o Oeste selvagem Um mensageiro transporta o público para o mundo dos cowboys e das suas montadas a uma velocidade vertiginosa. Os espectadores sentem o cheiro do oeste selvagem quando o melhor cavaleiro europeu de tipo cowboy entra na arena. Nuvens de pó são levantadas, à medida que ele demonstra a diferença que um Quarter Horse faz. Os movimentos espectaculares a galope impressionam o público. Este número de cortar a respiração é acompanhado por uma dança típica da época. Baseando-se no trabalho dos cowboys americanos, os cavalos e cavaleiros exemplificam o ‘cutting’ e o ‘reining’, as disciplinas por excelência da equitação do oeste.

7. O Festival Bárbaro A nossa viagem pelo mundo equestre leva-nos até ao continente negro e as vastas planícies marroquinas. É noite. Um campo nómada encontra-se em grande festa e no calor do momento surge uma competição. Cavaleiros ferozes, montados nos seus magníficos cavalos bárbaros fazem todo o tipo de acrobacias audaciosas. Todos querem provar às mulheres da tribo que são o melhor. O suspense e a audácia aumentam a cada passo, criando um espectáculo de fogo. As acrobacias não só exigem o máximo dos cavaleiros, como também demonstram a incrível resistência dos cavalos árabes.

INTERVALO

8. Islândia O país da divindade lendária. Gnomos, duendes e os verdadeiramente pequenos cavalos desta ilha contam a história da mitologia nórdica. Um grandioso barco Viking flutua no Atlântico Norte, rodeado de nevoeiro. O início tranquilo do número dá lugar a um paço veloz, em que os cavalos islandeses cativam o público através de formações auspiciosas, desafiando géisers e rios de lava. Tudo isto acompanhado pela inimitável voz da diva islandesa "Arndis Halla".

9. Revista da Broadway O público é transportado para os anos vinte. Ao estilo do legendário Cotton Club, os mafiosos montam os poderosos frisons. Os membros do conhecido grupo de Al Capone dançam nos cavalos, fazendo piaffer com as dançarinas que os acompanham em sapateado. A tensão vai aumentando, alimentando-nos a ideia de que algo se vai passar… Eis que ele entra, o lendário Al Capone, acompanhado do seu pónei talentoso. Ele demonstra a verdadeira essência de um mafioso e o seu pónei a verdadeira classe da alta escola. A polícia surpreende os mafiosos! Quem será o vencedor? Trata-se de um espectáculo internacional! Ninguém consegue escapar ao Quarter Horse – ágil e musculado. Mais rápido que a própria sombra e com estilo felino, o cavalo reage com rapidez a cada movimento do gado, das ovelhas e até – conforme demonstrado na APASSIONATA – das pessoas. Ao agachar-se e ao manter os seus olhos fixos no alvo, o cavalo consegue impedir o avanço do seu prisioneiro. Torna-se evidente o porquê de até os cavaleiros mais experientes terem de agarrar a sela com unhas e dentes.

10. Samba A única fêmea entre os garanhões, Lady, a pónei shetland, combina a alta escola clássica com o temperamento das Caraíbas. Sob a máxima ‘Cuba e Mozart aliam-se’, os espectadores testemunham uma interpretação sem precedentes da alta escola clássica.

11. Número de fogo Misticismo! Suspense! Os cavaleiros do apocalipse e seus dançarinos entram na arena iluminando uma cruz de fogo com um impacto estrondoso. A batida anuncia a chegada do cavaleiro do fogo. Os espectadores não querem acreditar quando vêem cavalo e cavaleiro atravessar as chamas.

12. Hommage O ciclo de "Hommage" chega a um final. Após a incerteza do primeiro encontro, como se cavalo e cavaleiro tivessem de se habituar um ao outro, ambos criam um laço e demonstram-nos, com uma agilidade suprema, aquela que é umas das mais duras lições de equitação, o Ensino e, com respeito, o cavaleiro devolve ao cavalo a sua liberdade e ajoelha-se em agradecimento e solidariedade perante um cavalo que lhe é totalmente devoto e leal.

AS ESTRELAS DA APASSIONATA

Styrmir Arnason é, juntamente com os seus companheiros islandeses, o actual campeão mundial. Já foi, por várias vezes, campeão mundial de toelt e obteve também várias outras vitórias a nível nacional, em diversas categorias. Este islandês, que vive e trabalha na Alemanha há cerca de 15 anos, é o pólo de orientação do mundo equestre islandês e conta com inúmeros súbditos. Pode contar com o apoio de uma equipa de grande calibre, a qual inclui vários jovens campeões mundiais.

Sebastian Fernandez é um dos melhores mestres de equitação espanhóis e é campeão das disciplinas Doma Vaquera, Doma Clàsica e Alta Escuela. Nasceu em Granada e cresceu no seio de uma família equestre tradicional. A ele, junta-se a sua equipa espanhola nesta apresentação dos magníficos cavalos andaluzes, cavalos conhecidos pela inteligência e pelos movimentos elegantes, fazendo deles uma atracção segura num espectáculo que prima pela diversidade, como a APASSIONATA.

Leo Holcknecht é "campeão mundial 2002" na modalidade Trick Roper . Este desejado título foi alcançado por ‘Black Leo’ há três anos atrás, durante a convenção de arte do Oeste, em Las Vegas. Este checo detém também o título de campeão mundial e alemão de laço. Como protegido de Fred Schneider, várias vezes campeão mundial na modalidade, Leo aprendeu a arte do laço do zero. Na tournée Hommage, Leo irá demonstrar a sua incrível perícia pela primeira vez, na APASSIONATA.

Luís Valença – A sua fama lendária de campeão português e grande senhor dos lusitanos precede-o. Membro honorário da Escola Portuguesa de Arte Equestre, Luís Valença dedicou a sua vida e talento excepcional ao ensino e treino do cavalo lusitano. Numa perfeição clássica e intemporal, Luís Valença e os seus nobres cavalos apresentamnos a alta escola – montados e em trabalho à vara.

Jörg Pasternak demonstrará na APASSIONATA mais uma categoria de equitação tipo oeste selvagem, nomeadamente, o ‘cutting’. De momento, Jörg é considerado o melhor em cutting, de acordo com a lista da American Quarter Horse Association (AQHA). Também é campeão europeu da modalidade e campeão Futurity e há cinco anos que é o campeão alemão. Os espectáculos de cutting mostram que o cavalo possui um sentido inato, o tal ‘instinto para lidar com vacas’, semelhante ao instinto dos cães guardadores de rebanhos. Mais rápido que a própria sombra e com estilo felino, o cavalo reage com rapidez a cada movimento do gado, das ovelhas e até – conforme demonstrado na APASSIONATA – das pessoas.

A Família Willms – A paixão pelos cavalos surgiu-lhes no dia em que Celine e Alex Willms nasceram. Há mais de 300 anos que a Família Willms se dedica à criação, ao ensino e à arte de montar cavalos puro-sangue. A fama de Alex Willms como treinador de cavalos há muito ultrapassou a fronteira belga. Celine Willms, como parte integrante da equipa nacional belga, alcançou lugares de pódio em vários concursos e impressionou a Rainha Isabel na altura da celebração dos 50 anos da sua coroação, ao desempenhar um número de dressage verdadeiramente fabuloso. A filha de ambos, Sylvie, também monta desde cedo, tendo cativado o público com o seu número de dressage na sua primeira tournée da APASSIONATA em 2003/2004.

Roland Heiss e os seus cavaleiros acrobáticos irão correr riscos de cortar a respiração, ao apresentar a arte dos Conquistadores. Tendo visto a sua habilidade sensacional ao cavalgar no meio de chamas, a APASSIONATA orgulha-se de poder contar com a participação de um dos melhores cavaleiros de fogo do mundo.

Petra Geschonneck, montada no seu frison negro, é inigualável em termos do seu domínio na difícil corveta executada por este grandioso cavalo. Juntamente com a sua equipa, Petra apresenta uma combinação única de elegância pura e poder irreprimível dos quatro magníficos garanhões frison.

A Lady e o Rasputin são os convidados especiais mais pequenos da APASSIONATA, garantindo a Lady o seu lugar de única fêmea no meio de tantos garanhões! Levados pelo seu dono, Hermann Wetehof, os póneis shetland exibem números de circo e de saltos tradicionais.

Arndis Halla é "a Voz" da APASSIONATA. Nascida na Islândia, a cantora iniciou a sua carreira em 1998 na Ópera Comédia de Berlim. Foi artista convidada em vários teatros alemães, antes de cunhar o seu nome a nível internacional com o seu papel de ‘Rainha da Noite’, na ‘Flauta Mágica’, de Mozart. Esteja onde estiver – seja no Japão, na Coreia do Sul ou noutros países europeus, tal como na ópera estatal de Praga – um sucesso!


(©) Copyright Cavalonet 2000 - 2013